segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Sonhos - Uma Introdução

Esse texto é resultado de uma pesquisa que fiz sobre Introdução aos Sonhos, tema da minha apresentação para o Evangelho no Lar dessa semana, com minha família. Espero que esse texto possa ser útil para quem está pesquisando mais sobre sonhos, sonhos lúcidos e projeção astral.

O que é um sonho?

"Para entender realmente o que é esse sonho, é preciso entender que quando dormimos, apenas o nosso corpo físico repousa. O nosso espírito desliga-se parcialmente do corpo físico enquanto este está adormecido e volta ao plano espiritual onde participa ativamente de diversas atividades. Quando o corpo físico vai acordar o espírito volta e reassume o seu invólucro carnal, trazendo gravado as lembranças e imagens das experiências vividas na outra dimensão da vida. Essas lembranças são o que chamamos de sonhos."

O corpo precisa repousar para refazer as energias, mas de que energias estamos falando? O espírito precisa se desligar do corpo físico para "atuar" em sua dimensão adequada, onde assimila as energias necessárias para seu refazimento. Iremos ver sobre Rememoração, Assimilação e Percepção desses sonhos mais pra frente neste mesmo texto.


Porque sonhamos?

REM(Movimento Rápido dos Olhos) - O sono se divide em ciclos em que o cérebro se comporta de diversas formas. As fases desse ciclo se repetem várias vezes da noite. Um dos estágios da fase do sono é o REM, onde a atividade cerebral se comporta como estado de vigília, trabalhando e proporcionando o movimento rápido dos olhos. Esse é o momento do sonho. Nos últimos ciclos da noite estão os eventos REM mais demorados, sendo possível até 50 minutos para os dois últimos ciclos. A estimativa é de que todos tenhamos cerca de 2 horas de sonho por noite.
Recentemente, descobriu-se que até os bebês no útero têm sono REM (movimentos rápidos dos olhos) e sonham, não se sabe com o quê. Aqui temos um fator interessante: Alguns alegam que o sonho nada mais é do que a projeção do nosso passado e problemas atuais somente. Como explicariam esses casos? Com o que os bebês no útero sonham, já que ainda nem nasceram??
Figura 1 - sono e os estágios do sonho

Figura 2 - Descrição dos estágios do ciclo do sonho


Importância do sonho para nossa saúde física e mental

"Alguns estudos mostraram que o sono e os sonhos estão ligados à aprendizagem e ao reparo do corpo e da mente. Se nós não tivermos a quantidade precisa de sono REM, o corpo vai recuperar a quantidade “perdida” aumentando o sono primeiro, e recobrando assim a quantidade de sono REM perdida. Isto sugere que o os sonhos são importantes.
Foi observado que a falta de sono e de sonhos causa efeitos como: sonhar acordado (alucinações visuais e auditivas); interferência na memória e no aprendizado; perda de associações; perda de habilidades que exigem completa atenção; dificuldade de manter uma linha completa de pensamentos; irritação. Por isto, pensa-se atualmente que a falta de sono REM ou do sono com sonhos relaciona-se com o restabelecimento da saúde mental.
O sono com sonhos parecer desempenhar um papel importante na revitalização de experiências novas e antigas, de modo que elas permaneçam na memória de longo prazo.
Alan Hobson, do Centro de Saúde Mental de Massachussetts, demonstrou com uma experiência com ratos o que seria uma das funções do sono com sonhos: um estudo demonstrou que os mesmos neurônios ativados quando um rato explora o labirinto são repetidos quando o rato sonha. Deste modo, o cérebro do rato estaria repetindo a experiência enquanto sonho, de modo a memorizá-la.
Pesquisas de Israel mostraram que a interrupção constante do sono com sonhos em uma noite bloqueia a aprendizagem, enquanto que a interrupção do sono sem sonhos não bloqueia.
Assim, o sono e os sonhos aparentemente desempenham papéis críticos na memória e na aprendizagem, bem como na redução do stress e em geral mantendo nossa saúde mental em um bom estado."

Resumo das funções do sono

Durante o sono todo o metabolismo está perturbado. Com a influência das secreções hormonais acrescidas, renovações e reparações celulares instalam-se, o sistema imunitário fortifica-se, o apetite regula-se, a recarga neuronal ocorre…
O trabalho de eliminação também fica mais intenso: detritos e toxinas são eliminados, mesmo ao nível cerebral.
Sono e cognição são inseparáveis: as informações memorizadas durante o dia são consolidadas (se adormecermos após ter aprendido algo, melhoramos a memorização em 30% !) ; novos circuitos neuronais criam-se.
Por isso, torna-se fácil «predizer» o que pode acontecer quando se verifica um défice ou uma modificação da qualidade do sono: distúrbios cognitivos e psíquicos (perda de atenção, eficácia, motivação, memória, fragilidade emocional, irritabilidade…), fraqueza imunitária, risco de obesidade, de diabetes...).

Eu não sonho. Porque?

Isso não existe! Todos nós sonhamos. A questão é não lembrar dos nossos sonhos. Isso acontece porque estamos "programados" desde pequenos a logo ao acordar já bitolar em nossos problemas terrenos. Assim que acordamos o cérebro já entra em modo "offline" e ocorre a dissuação de tudo o que ocorreu durante o sono. Um ótimo exercício é se habituar a compartilhar as experiências com as pessoas que vivem conosco assim ao acordar. Pode ser um bate papo descontraído durante o café da manhã. 

Rememoração, Assimilação e Percepção

Nossa consciência é bem maior fora do corpo físico e nosso nível de percepção aumenta consideravelmente. Ao retornar de um sonho a consciência se contrai para "caber" em nosso cérebro e isso faz com que percamos em parte ou totalmente as memórias do que aconteceu durante o sono. E ainda o que lembramos pode não fazer parte do que conhecemos em nosso mundo físico, fazendo com que nosso cérebro crie regras de associação e "monte" uma memória embaralhada do que realmente aconteceu. Exemplo: Se eu tenho um encontro com um mentor querido que conheço de outras vidas. Ao retornar, se eu lembrar dessa conversa é bem provável que a lembrança seja  como se ele fosse meu pai. Ou ainda se eu vi algum animal ou coisa que simplesmente não exista aqui eu posso associar com algo que exista e que não tenha nada a ver com o sonho. Nessas horas lembro dos ensinamentos do Moisés Esagui, que sempre fala da importância de aumentarmos nosso universo simbólico e assim conseguirmos compreender e estudar cada vez mais nossa verdadeira razão de ser. 

Quais são os tipos de sonhos?

Problemas do dia a dia/sonhos cerebrais - Sem ligação alguma com espiritualidade e evolução. Ficamos bitolados com os problemas do nosso cotidiano materialista e vamos dormir pensando nisso. A tendência é que sonhemos com esses problemas. Como não ter esse tipo de sonho: Antes de dormir separar um tempo para acalmar os pensamentos e efetuar uma leitura edificante, escutar uma música relaxante ou assistir a um bom vídeo. Não precisa ser do tema espiritualista, basta serem temas que te proporcionem bons pensamentos. Isso funciona também como técnica de incubação para Sonhos Lúcidos/Projeção Astral onde as leituras, sons e vídeos tem que ser temáticos, podendo ser feita também uma mentalização/meditação no momento de dormir.

Sonhos medianímicos - são sonhos onde sofremos alguma intervenção de algum mentor, ou vamos visitar algum local espiritual. Se trago algo do mundo espiritual então é mediúnico. Vários famosos tiveram criações inspirada sem sonhos, onde inclusive recebem instruções de mentores e visitam lugares.
Sonhos proféticos - em boa sintonia a pessoa pode ter acesso a acontecimentos futuros. Nossa visão newtoniana de espaço-tempo nos impede de enxergar o universo de maneira não-linear, então nossa confusão é ainda maior nesses casos.
Acesso ao passado - em boa sintonia a pessoa pode acessar registros Akáshicos(dimensão onde ficam gravados todos os acontecimentos da humanidade) e ter experiências de vidas passadas.
Sonhos repetitivos - nesses casos podemos estar sendo acessados por mentores ou pelo inconsciente, tentando nos avisar algo que temos que resolver.
Pesadelos - Podem estar interligados com o tipo "Problemas do dia a dia", ou seja, ser resultado de situações e problemas de nossa vida material. Pode ser também acesso de algum obsessor à minha mente, acesso esse que é permitido pelas nossas más vibrações e fraquezas emocionais. Nesses casos podem ocorrer vampirizações energéticas. Além disso, nossas más vibrações e fraquezas emocionais podem nos levar a lugares no Umbral denso, o que faz com que tenhamos lembranças de pesadelos.

Alimentação no sono/sonho

"Somos o que comemos", então tudo o que comemos interfere na forma como somos moldados no decorrer de nossa vida. Independente disso, o horário que comemos e a quantidade e densidade da comida pode interferir negativamente em nosso descanso durante a noite. O ideal é não comer comida pesada durante a noite e não comer perto do horário de ir dormir. 

Crenças e Culturas

Os sonhos são estudados e interpretados desde sempre, apesar dos altos e baixos em relação à importância dada eles. Algumas civilizações e crenças destacadas: Sumérios, Egípcios Antigos, Gregos antigos, Romanos, Hindus, Tibetanos, Chineses, Hebreus, Tribos Indígenas.

Os Xamãs

"O xamanismo acreditava que os sonhos eram um meio de acesso a realidades escondidas dos nossos cinco sentidos e que existem realidades paralelas e sobrepostas ao mundo físico. Para eles, os sonhos eram uma conexão com essas realidades mais elevadas, uma janela paraa alma, uma jornada para o reino do "espírito". Muitas culturas aborígenes acreditavam no Templo do Sonho, uma realidade completamente diferente, um espaço coletivo em que se tem acesso direto ao conhecimento sagrado e se pode falar com os mortos e aprender com os mestres espirituais que transcenderam o mundo físico.
Para muitas culturas indígenas, como os iroqueses, quem não estivesse em contato com os seus sonhos não estava em contato com os seus sonhos não estava em contato com sua própria alma. Os sonhos não apenas eram importantes, como também vitais. Quem não se conectasse a eles era considerado deficiente espiritual e emocional." Trecho extraído do livro Sonhos Lúcidos - de Dylan Tuccillo, Jared Zeizel e Thomas Peisel

"A melhor definição talvez tenha sido a de Mircea Eliade: o xamã é alguém capaz abandonar seu corpo, e viajar entre os mundos. O conhecimento adquirido nessas viagens com os habitantes de diferentes realidades, entre outras coisas, qualificam o xamã a manter o bem-estar e a obter a cura para eles próprios e para os membros de suas comunidades. E é justamente essa facilidade de realizarem essas viagens extáticas que define o xamã como “aquele que voa”. Então, o xamanismo é a técnica do êxtase, um conjunto de procedimentos para exercitar o controle do vôo mágico. Não é um culto, mas um conjunto de práticas e técnicas, antigas como o ser humano, que usa o simbolismo de cada cultura das pessoas que as praticam. Mas, debaixo daqueles símbolos, as mesmas forças e os mesmos elementos estão agindo no insondável infinito, possibilitando aos indivíduos aprenderem conscientemente a transpor o aparente abismo existente entre o mundo físico e o espiritual, entre as esferas da visão e da imaginação."

"O termo original saman vem justamente do verbo “conhecer” na língua siberiana manchu-tungus, significando “aquele que conhece” ou, simplesmente, “feiticeiro”. Em português (ou melhor, tupi), o exato equivalente seria “pajé”. A definição clássica de xamanismo – “técnicas arcaicas de êxtase” – pertence ao filósofo romeno Mircea Eliade (1907-1986), especialista em História das Religiões e um dos vários estudiosos que ficaram impressionados com o modo como as práticas xamânicas se reproduziam identicamente entre nativos de regiões tão distantes quanto Sibéria, Austrália e Amazônia." 
Figura 3 - Ilustração Xamã 1

Figura 4 - Ilustração Xamã 1

Idade Média

Conhecida pela caça às bruxas, foi marcada pelo fim dos sonhos com a Igreja e a Inquisição.

Tempos modernos

Sonhos "ressucitados" por Sigmund Freud, que demonstrou a importância da compreensão dos sonhos para resolução das psicopatologias.

Famosos e sonhos lúcidos

Paul CcCartney - sonhou com as músicas "Yesterday" e "Let It Be" antes de compor. Let It Be foi uma frase que ele ouviu de sua mãe em um sonho, morta há 12 anos atrás.
Elias Howe - criador da agulha, sonhou com canibais e lanças com furo.
Dmitri Mendeleev - criou a tabela periódica após sonhar com ela.
Albert Einstein - Formulou suas principais teorias após sonhar com elas.
Reneé Descartes - matemático e filósofo - tinha sonhos lúcidos e decifrava os sonhos ainda sonhando.
Sigmund Freud - "ressucitou" o mundo dos sonhos, baseando-se neles para resolver os problemas e medos das pessoas. A estrutura básica de seu trabalho se baseou em estudos dos sonhos para resolver problemas do passado dos pacientes.
Carl Gustav Jung - principal aluno de Freud, foi além do que ensinou seu mestre e acreditava que além do passado, o mundo dos sonhos pode resolver problemas presentes. Jung tinha sonhos lúcidos e projeções conscientes. Introduziu o conceito de inconsciente coletivo e arquétipos.

Bibliografia

http://ippb.org.br/textos/511-o-que-sao-nossos-sonhos
https://www.sonhosbr.com.br/sonhos/o-que-e/
http://somostodosum.ig.com.br/artigos/corpo-e-mente/sonho-o-que-e-359.html
http://www.xamanismo.com/xamanismo/o-que-e/
http://super.abril.com.br/historia/o-que-e-xamanismo/
http://www.psicologiamsn.com/2011/12/ciclos-do-sono.html
http://www.nutergia.pt/pt/nutergia-conselheiro/dossiers-bem-estar/sono.php
Sonhos Lúcidos - de Dylan Tuccillo, Jared Zeizel e Thomas Peisel

Nenhum comentário:

Postar um comentário